Coração Curumim Explica: Dupla Via de Saída do Ventrículo Direito (DVSVD)

Como já vimos em outros textos da série “ Coração Curumim Explica”, em um coração normal, a artéria pulmonar (que leva sangue do coração aos pulmões para receber oxigênio) surge diretamente do ventrículo direito, e a artéria aorta (que transporta sangue rico em oxigênio do coração para o corpo) surge do ventrículo esquerdo.

Na cardiopatia congênita denominada Dupla Via de Saída do Ventrículo Direito (DVSVD), as duas grandes artérias, tanto pulmonar como aorta, estão conectadas/relacionadas ao ventrículo direito. Geralmente, há uma outra malformação associada à DVSVD conhecida como comunicação interventricular (CIV), que garante a passagem do sangue oxigenado do ventrículo esquerdo para as artérias pulmonar e aorta, havendo mistura do sangue oxigenado e não-oxigenado.

A DVSVD é uma doença rara, com incidência variando entre 0,3 a 20 casos para cada 100.000 nascidos vivos. Corresponde até a 1,5% de todas as cardiopatias congênitas.

Dupla Via de Saída do Ventrículo Direito.

A causa para o desenvolvimento da Dupla Via da Saída do Ventrículo Direito, assim como de outras cardiopatias congênitas durante a gestação, é multifatorial, incluindo fatores genéticos, ambientais, uso de medicamentos, álcool e drogas ou doenças maternas prévias como diabetes, lúpus, rubéola e sífilis.

Quadro clínico e diagnóstico

Os sintomas irão depender principalmente do tamanho e posicionamento da CIV e da presença de estreitamentos nas grandes artérias (aorta e pulmonar). Podem incluir dificuldade de alimentação, suor excessivo (principalmente no esforço), ganho de peso inadequado, cor arroxeada (cianose) nos lábios e ponta dos dedos, palidez de pele, problemas respiratórios ou inchaço no abdome e pernas.

Mesmo com a presença da CIV que permite a mistura do sangue sem oxigênio (venoso) com o sangue oxigenado (arterial), a oxigenação de todos os órgãos fica prejudicada, sobrecarregando o coração. Isso ocorre principalmente nos momentos de esforço, como durante o choro e mamadas. Na evolução pode ocorrer sobrecarga progressiva do ventrículo direito, com desenvolvimento de insuficiência cardíaca nos casos mais graves. Ao exame físico, além de cianose e dificuldade para respirar, pode ser auscultado sopro no coração.

Exames complementares colaboram no diagnóstico desta cardiopatia. A radiografia de tórax mostra um coração de tamanho aumentado e o eletrocardiograma pode mostrar sobrecarga do coração. O exame de escolha para o diagnóstico é o ecocardiograma, que além de confirmar a alteração estrutural, mostra a função do coração.
É importante lembrar que o diagnóstico desta cardiopatia pode ser feito ainda no período pré-natal, entre 24ª a 28ª semana de gestação, através de ecocardiograma fetal.

Tratamento

A DVSVD é uma doença que precisa de tratamento cirúrgico. O momento para realização da cirurgia é decidido de acordo com as condições clínicas do paciente e das alterações estruturais do coração. Os cuidados durante o período pré-operatório dependem da idade e dos sinais e sintomas predominantes. Em cerca de 36,5% dos casos são realizadas cirurgias paliativas (não definitivas) no período neonatal, com a programação de cirurgia corretiva ainda nos primeiros meses de vida. Quando possível, o ideal é o reparo definitivo, ou seja, manter artéria pulmonar conectada ao ventrículo direito e conectar aorta ao ventrículo esquerdo, além do fechamento da CIV.

Prognóstico

A evolução de pacientes submetidos à cirurgia é geralmente boa, mas dependerá das condições clínicas pré-operatórias e do resultado cirúrgico. Mesmo após a correção cirúrgica o acompanhamento médico com pediatra e cardiologista deverá ser por toda a vida, além de cuidados com a saúde dos dentes e uso correto das medicações.

Por Aline Potrich, médica pediatra (UNICAMP) e cardiologista pediátrica (INCOR).

A série “Coração Curumim Explica” pretende trazer toda semana textos sobre assuntos que trabalhem com o tema coração e a cardiopatia congênita.

Imagem de destaque via Pixabay.

Equipe Curumim

AATCC – Associação de Apoio ao Tratamento das Crianças Cardiopatas – Coração curumim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *