Coração Curumim Explica: Endocardite Infecciosa ou Bacteriana

Na última semana a seção “Coração Curumim Explica” abordou a vacinação no cardiopata. A pauta de hoje será a Endocardite Infecciosa ou Bacteriana. Confiram!

A Endocardite Infecciosa (EI), também chamada Endocardite Bacteriana, é uma doença grave e potencialmente letal do coração acometendo principalmente valvas cardíacas. É uma doença infecciosa incomum, atingindo aproximadamente 2-15 a cada 100.000 pessoas/ano, sendo fatal até a elaboração dos antibióticos.

A superfície do tecido cardíaco pode estar danificada em alguns tipos de doença cardíaca congênita ou adquirida devido, por exemplo, ao fluxo turbulento de sangue (através de uma válvula estenótica ou lesão), a presença de uma válvula cardíaca protética; ou histórico anterior do EI.

Quando ocorre este dano, existe uma liberação de substâncias que levam à formação de um trombo. Porém, quando há bactérias na corrente sanguínea elas podem aderir a este trombo causando a EI.

Com o surgimento dos antibióticos, surgiram as recomendações para seu uso profilático visando a prevenção da Endocardite. Assim, para pessoas com predisposição a doença cardíaca prescreve-se antibióticos em situações que considera-se de “risco”, incluindo procedimentos dentários e cirúrgicos. Nas recomendações mais recentes, a profilaxia, quando necessária, é de uma dose do antibiótico antes do procedimento.

A má higiene/saúde bucal está fortemente relacionada com a EI. Deve-se enfatizar aos pacientes que a manutenção da saúde bucal e higiene, além de visitas regulares ao dentista, podem reduzir a incidência de infecção ao escovar os dentes, durante a mastigação e atividades diárias similares.

É bom ressaltar também que o uso generalizado de antibióticos pode levar ao aumento de bactérias resistentes. De fato, a frequência de infecções por bactérias multiresistentes aos antibióticos aumentou dramaticamente durante os últimos 25-30 anos. A resistência a antibióticos tem sido caracterizada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como uma ameaça grave à saúde pública mundial.

Portanto, em situações em que a profilaxia prévia a um procedimento odontológico é indicada, uma dose única de amoxicilina ou ampicilina é segura para indivíduos que não são alérgicos a penicilina. As últimas recomendações sobre profilaxia antibiótica frente a procedimentos odontológicos foram revisadas por grandes centros de estudo ficando o uso restrito a alguns pacientes considerados de risco.

A profilaxia é, então, apenas recomendada para pacientes com maior risco de endocardite e/ou maior risco de efeitos adversos graves da endocardite. São eles: pacientes com uma prótese valvar cardíaca ou material protético utilizado para reparo de válvulas cardíacas; pacientes que já tiveram EI; pacientes com cardiopatia cianótica e aqueles com pós operatório de shunt paliativo, uso de condutos ou outras próteses, além dos pacientes que ficaram com alguma lesão residual pós cirurgia cardíaca.

Se um defeito congênito foi reparado com sucesso sem defeitos residuais, a profilaxia pode ser prescrita dentro do período de 6 meses após a cirurgia. Pacientes com transplante cardíaco que desenvolveram uma doença na válvula (que é mais provável de ocorrer durante os episódios de rejeição cardíaca) também tem indicação de profilaxia com antibiótico.

A lista de procedimentos dentários para os quais a profilaxia é recomendada para os grupos de pacientes discutidos acima é formada por todos aqueles que envolvam a manipulação do tecido gengival, a região periapical dos dentes ou perfuração da mucosa oral.

Cuidar da saúde bucal é tão importante quanto tomar os remédios para o coração e manter seguimento adequado com cardiologista! Procure sempre seu dentista!

Por Cristiane A. Baldini Cardoso, Cirurgiã Dentista, mestre em Odontopediatria e Doutora e Pós doutora em Biologia Oral.

A série “Coração Curumim Explica” pretende trazer toda semana textos sobre assuntos que trabalhem com o tema coração e a cardiopatia congênita.

Imagem de destaque via Pixabay.

 

Equipe Curumim

AATCC – Associação de Apoio ao Tratamento das Crianças Cardiopatas – Coração curumim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *